A rainha do grito

Tony Curtis e Janet Leigh

Jamie Lee Curtis, filha do ator Tony Curtis e da atriz Janet Leigh (aquela da famosa cena do chuveiro em Psicose) ficou conhecida no comecinho dos anos 1980 como "scream queen" ("rainha do grito"). Jamie fez sua estreia no cinema em 1978, como a mocinha de Halloween - A Noite do Terror, filme de John Carpenter que virou febre e deu origem a uma série de continuações. A partir dali, Jamie se tornou, de fato, a rainha dos filmes de terror.

Jamie Lee Curtis em Halloween (1978)
Após o lançamento de Halloween, em outubro de 1978, e seu imenso sucesso (é considerado o filme independente mais lucrativo daquela época), a atriz embarcou em uma onda quase interminável de gritos em 1979. Chegou a estrelar nada menos do que três produções consecutivas naquele ano: A Bruma Assassina (The Fog), Baile de Formatura (Prom Night) e O Trem do Terror (Terror Train).

A Bruma AssassinaBaile de Formatura e O Trem do Terror
Entre abril e maio, filmou A Bruma Assassina; entre agosto e setembro, Baile de Formatura (lançado em vídeo como A Morte Convida Para Dançar) e entre novembro e dezembro, filmou O Trem do Terror. Todos foram lançados em 1980: o primeiro em fevereiro, o segundo em junho e o terceiro em outubro. Haja gogó para gritar em tantos filmes de uma só vez. Em todos eles Jamie viveu papéis bem parecidos: a mocinha que vê os amigos serem assassinados brutalmente e tem que lutar para sobreviver até o final.

Mas os filmes de 1980 não tiveram o impacto de Halloween. Dos três, o que se saiu melhor com o público e a crítica foi A Bruma Assassina, também de John Carpenter. Os outros dois, filmados no Canadá, não obtiveram o mesmo sucesso, embora hoje sejam considerados cult entre os fãs do gênero. Como se não bastasse, em 1981 ela protagonizou mais dois filmes de terror/suspense: Enigma na Estrada (Road Games) e Halloween 2 - O Pesadelo Continua (Halloween 2). Quem pensa que os gritos param por aqui se engana. Ainda no mesmo ano, estrelou o telefilme Death of a Centerfold: The Dorothy Stratten Story, que apesar de não ser um filme de terror, não deixa de ser uma história trágica (e real). Para quem não sabe, é sobre a breve vida de Dorothy Stratten, uma jovem garçonete que virou modelo, se tornou uma das mais famosas garotas da Playboy e acabou assassinada pelo namorado.



Embora a fama de rainha do grito tenha marcado o começo da carreira de Jamie Lee Curtis, ela também se destacou em outros gêneros além do terror e mostrou que não era atriz de um estilo só. Entre seus sucessos podemos citar Trocando as Bolas (1983), Dominick e Eugene (1988), Um Peixe Chamado Wanda (1988), Meu Primeiro Amor (1991), True Lies (1994) e O Alfaiate do Panamá (2001). Mesmo tendo deixado de lado os papéis em filmes de terror, ela ainda participou de Halloween H20: 20 Anos Depois (1998) e Halloween: Ressurreição (2002). Pelo visto, Jamie ainda não havia esgotado seu estoque de gritos. "Eu apareço e faço o que tenho que fazer. E para mim precisa ser verdadeiro — qualquer coisa que eu faça, não importa o que", explicou a atriz. "Lembro que em Halloween, o primeira e único comando de John Carpenter para mim, como diretor, foi: 'Quero que as pessoas acreditem que você é uma pessoa real'. Me preocupo sempre em tentar parecer real. E como sou corajosa, tento de tudo".

A atriz fazendo graça em 2011 ao lado do personagem de Halloween

Nenhum comentário:

Postar um comentário