Porcos, elefantes e doninhas

Sissy Spacek em Carrie, a Estranha 

Depois que Carrie White levou um banho de sangue de porco durante seu baile de formatura, o cinema de terror nunca mais foi o mesmo. Precursora das vítimas de bullying, a personagem Carrie, vivida por Sissy Spacek no filme homônimo, se cansa de ser alvo constante de piadas e deboches dos colegas de colégio e decide se vingar. Como? Colocando em prática seus poderes de telecinese (a suposta capacidade de mover fisicamente objetos com a força da mente). 

O filme, baseado no primeiro best-seller de Stephen King, teve direção de Brian De Palma e foi muitíssimo bem aclamado pela crítica e pelo público. Um feito até então incomum para um filme de terror, considerado um gênero 'menor'. As atuações impecáveis de Sissy Spacek no papel-título e Piper Laurie como mãe de Carrie valeram até mesmo indicações ao Oscar de Melhor Atriz e Melhor Atriz coadjuvante para as duas, respectivamente.

O sucesso de Carrie originou uma série de pastiches, alguns bem interessantes por sinal. O primeiro deles - e um dos melhores - foi o modesto A Iniciação de Sarah (The Initiation of Sarah), feito para a TV em 1978. Novamente o mote era uma garota meio feiosa (nem tanto assim) e introvertida - a Sarah do título - desprezada pelos colegas de faculdade e constantemente ridicularizada. Mas assim como Carrie, Sarah (Kay Lenz) tem poderes paranormais e acaba dando vazão a eles quando não aguenta mais tanta humilhação por parte das esnobes e cruéis colegas.

Para piorar a situação, Sarah é irmã adotiva de Patty (Morgan Brittany), uma moça bela e muito popular entre as colegas. As duas são de irmandades estudantis diferentes. A de Patty é Alpha Nu Sigma (ANS), a mais disputada e chique do campus. A de Sarah é Phi Epsilon Delta (PED), reconhecida por sua reputação obscura e decadente. A perversa Jennifer Lawrence (Morgan Fairchild), líder das calouras da ANS, obriga Patty a humilhar a irmã em público em uma das cenas mais memoráveis do filme: ela ordena que Patty faça um juramento em público de jamais se enturmar com esquisitas garotas da PED - "porcos, elefantes e doninhas" (em inglês, pigs, elephants and dogs).

Patty (Morgan Brittany) e Sarah (Kay Lenz)
Instigada e incentivada por Mrs. Erica Hunter (Shelley Winters, ótima como sempre), líder da PED, Sarah passa a treinar para controlar seus poderes e assim se vingar de Jennifer e todas as garotas da ANS. Clichês não faltam, mas neste caso eles são justamente o que mais diverte e prende o telespectador. A Iniciação de Sarah ganhou um remake em 2006 (se é que se pode chamar assim, já que não foi fiel ao original), mas obviamente não chega aos pés do primeiro, que alcançou considerável sucesso no final dos anos 70 e foi exibido inúmeras vezes na TV entre os anos 80 e 90. (A última vez que o vi na TV foi por volta de 1996, no extinto Cine Trash, apresentado por Zé do Caixão, na Bandeirantes).

Mrs. Hunter (Shelley Winters) e Sarah (Kay Lenz)
O trio de protagonistas - Kay Lenz, Morgan Fairchild e Morgan Brittany - são consideradas típicas atrizes de TV americanas, todas muito populares por papéis e participações em séries e telefilmes. Shelley Winters é a única 'estrela de cinema' de verdade do filme, ainda que naquela época sua carreira se resumisse à TV. Atenção para Robert Hays, o galã atrapalhado de Apertem os Cintos... O Piloto Sumiu! (1980), em seu papel de estreia como o namorado de Jennifer Lawrence. Tisa Farrow, irmã caçula de Mia Farrow, também teve um pequeno papel como Mouse, amiga de Sarah.

Kay Lenz, Morgan Fairchild e Morgan Brittany

Mouse (Tisa Farrow)

Morgan Fairchild e Robert Hays

Um comentário:

  1. muito legal saber o motivo do nome desse maravilhoso Blog!parabéns por essas explicações cinematogŕaficas!!Marcos Punch.

    ResponderExcluir